Tags

, , , ,

Sociedade do Espetáculo

De João Batista do Lago

O espetáculo das víboras continua!
A inócua nação dorme em berço esplêndido
Sem perceber que a miséria do seu povo
Não está na fome do corpo
Mas na inanição da ética

No palco das Leis se vitupera o povo
Desde sempre amorfo exército sem forma
A indignação está inerte sobre a pedra fria
O grito preso nas gargantas das gentes (e)
As gentes caladas sem aplausos assistem ao espetáculo

Até quando a miserável sorte será a bússola?!

Anúncios