Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

db-room.jpg

 

O QUARTO

 

by João Batista do Lago

 

No quarto resido com minha intimidade
Segredados na clausura da não-presença
Ouvimos as vozes da casa-fantasma (que)
Fala da vida enterrada em seu sepulcro
Há choro em cada gargalhada desesperada
Onde subjaz o Ser defenestrado do si

 

O quarto é o único lugar onde não desespero
Espaço sagrado onde converso com mortos-vivos
É de lá que muitas vezes atravesso a porta
Sabendo que não terei companhia da vida vazia
– alma que perambula pela casa –
Prenhe da solidão sarcófica da razão posta

 

É o quarto assim: a minha casa de paz e saúde
Local onde exerço minhas operações…
Onde cozinho os pratos mais perfeitos
Onde minh’alma e eu – e minha intimidade
Nos deitamos para o gozo mais supremo
Onde nas madrugadas chegamos ao extremo

 

Na sala do meu quarto recebo os ilustres
Conversamos por horas sem a linha do tempo
Tempo que enfeixa… que amarra as almas
No meu quarto o tempo não crucifica… não prende
Nem mesmo tem tempo de ter calma… nem pressa
Do meu quarto depois da travessia não se regressa

Crédito da Ilustração(foto): http://users.design.ucla.edu/~badgerow/Db-room.jpg

Anúncios